Registar! Entrar

O que podemos fazer para impedir os incêndios florestais?

Image
O que podemos fazer para impedir os incêndios florestais?

Os incêndios florestais aumentam a cada ano no mundo inteiro. Durante o verão de 2019, mais de 5 milhões de hectares de floresta foram queimados somente na Sibéria, o que representa mais da metade dos Estados Unidos e mais do que toda a Europa. Mas podemos realmente fazer alguma coisa para impedir os incêndios?

Consegue imaginar um incêndio que vai de Portugal à Suécia e chega até a Grécia? Isso foi o que aconteceu na Sibéria. E também na Amazónia. Mas há mais: em 2019, de acordo com o Global Forest Watch Fires (Gfwf) do World Resources Institute (uma organização que investiga incêndios e que opera em mais de 60 países do mundo), houve quase 3 milhões de alertas de incêndios durante este ano em todo o mundo.

Além disso, os incêndios estão a aumentar ano após ano: em 2018 houve menos 100.000 incêndios que em 2019, em 2017 houve menos 200.000. Na Amazónia, os incêndios queimaram este ano 75.000 km, 84% mais que no ano anterior. Somente o fogo siberiano liberou mais de 50 milhões de toneladas de dióxido de carbono na atmosfera, o equivalente às emissões anuais da Suécia.

A situação é muito grave porque os incêndios, que estão parcialmente relacionados com as alterações climáticas, também as aceleram. A liberação de CO2 na atmosfera devido à combustão acumula-se cada vez mais já que o nosso "pulmão" (que são as árvores) está a transformar-se em fumo. 

O desmatamento, incluindo aquele que é causado pelos incêndios, elimina ecossistemas inteiros em poucos dias. Muitas espécies de animais estão já à beira da extinção, e isso desencadeia uma espiral negativa que pode levar à extinção em massa.

Não se trata de alarmismo, mas sim de uma realidade contra a qual devemos lutar. E como podemos fazer isso? Como um cidadão comum pode impedir que isso aconteça? Vamos ver algumas possíveis soluções.

Como podemos parar os incêndios?

As alterações climáticas desempenham um papel fundamental no aumento dos incêndios: os períodos prolongados de seca facilitam a auto-combustão da flora. Mas a maioria dos incêndios é provocado intencionalmente.

Na Sibéria, os incêndios parecem ter sido causados pelo derretimento do permafrost, devido ao aumento das temperaturas. O solo liberou grandes quantidades de gases de efeito estufa, que ficaram presos no gelo. Dessa forma, milhões de hectares, que poderiam ter sido cultivados ou usados para a extração de recursos minerais, viraram fumo.

Os incêndios também são provocados intencionalmente na Amazónia e em outras regiões do mundo, para poder, por exemplo, plantar palmeiras para a produção de óleo de palma, cacau para a produção de cacau industrial, e também cana-de-açúcar e outras plantas, como a soja, usada na alimentação de animais.

A extração de recursos e a alimentação de humanos e animais são as principais razões para o aumento de incêndios. A demanda de alimentos e minerais está a aumentar, e o mercado não tem escrúpulos quando o objetivo é aumentar a produção e reduzir os custos.

A National Geographic afirma que “a principal causa do desmatamento é a agricultura. Os agricultores cortam florestas inteiras para ganhar mais espaço para poder plantar mais ou pastar gado. O cultivo de cereais para alimentação, poer exemplo, requer grandes áreas de terra. ”

A Rainforest Foundation afirma que "hoje, à medida que se importa da América Latina mais carne e produtos à base de carne, é especialmente importante reduzir o consumo de carne. A criação de animais depende da agricultura intensiva, que por sua vez exige grandes quantidades de terra, energia e água ".

Portanto, uma boa medida para evitar os incêndios é optar por uma dieta vegana, ou pelo menos reduzir em 80% as proteínas animais na nossa dieta diária. Se todos fizermos isso, conseguiremos poupar muitos hectares de terra, o que seria positivo para a qualidade da água, do ar e das centenas de animais que não morreriam.

Todos os cidadãos são, obviamente, também consumidores, atores neste mercado global e, como tal, as suas escolhas influenciam o desenvolvimento da oferta e da demanda. Se todos parássemos de consumir óleo de palma, açúcar refinado e reduzíssemos o consumo de proteínas animais, os incêndios diminuiriam imediatamente.

Cada um de nós tem uma grande responsabilidade: as opções de compra têm um valor social, político e ambiental. Na Iswari, temos o compromisso de difundir os valores de uma nutrição sustentável e saudável, o respeito ao meio ambiente e às populações locais. Como consumidores, podemos optar por consumir apenas produtos produzidos de forma responsável e, nesse sentido, ao escolher os produtos Iswari, está a fazer uma aposta segura.